Melhor Preço Garantido

SALVADOR, BAHIA - O QUE FAZER?

SALVADOR, BAHIA - O QUE FAZER?

VILA DE PESCADORES
A Praia do Forte tem a sua história. As casas dos pescadores, uma praça, uma igreja, formam a Aldeia de Pescadores, no mesmo lugar onde, há 30 anos, existia a Fazenda Praia do Forte; um lugarejo cheio de magia.

As casas da Vila dos Pescadores, onde actualmente vivem 1800 pessoas, ainda guardam o ar de antigamente e tornam o lugar especial para quem lá vive e passeia. O espaço foi doado ao município com a condição de que seus moradores não vendessem suas casas, tendo autorização apenas para repassa-las aos seus filhos, numa estratégia perfeita para manter a Praia do Forte no seu ambiente original.

As ruas principais foram calçadas, formou-se um pequeno comércio com lojas de artesanato, boutiques, bares, restaurantes e pousadas, mas com o charme e simplicidade de outrora.
A Praia do Forte ainda é um desses pedaços de Brasil onde os nativos põem as cadeiras nas calçadas nas noites de luar. Lá se vive um pouco do quotidiano dos pescadores, dos artesãos e dos antigos moradores da vila, que não abrem mão da tradição, da religiosidade e das festas populares. As datas mais famosas são o 2 de Fevereiro, dedicado a Iemanjá, e o 4 de Outubro, dia de São Francisco de Assis, padroeiro da Praia do Forte.

PROJECTO TAMAR
As tartarugas também preferem a Praia do Forte. É lá que, segundo estudos do Projecto Tamar/Ibama, está a maior concentração de desova desses animais que, por pouco, não foram extintos da costa brasileira e do planeta. Esta particularidade da região foi responsável pela escolha da Praia do Forte para abrigar a Sede do Centro Nacional de Conservação e Manejo de Tartarugas Marinhas, o conhecido Projecto Tamar.

No final todos ganharam. As tartarugas, os nativos da região, que mudaram a antiga relação predatória com os animais, e os visitantes, que passaram a desfrutar de um belo espectáculo nas piscinas do Tamar durante todo o ano e na areia da praia, onde as tartarugas vêm desovar de Setembro a Março.

SAPIRANGA
No túnel formado por gameleiras, piaçavas e embaúbas enfileiradas, raios de sol reflectidos nas águas do riacho dão um colorido especial a bromélias e orquídeas que a natureza brotou nas margens. De repente, o desnível no solo e uma cascata fazem ecoar sua sintonia no meio da mata fechada. Pássaros nativos gorjeiam. A harmonia dos ritmos causa uma imensa sensação de paz. Stress? O que é isso? Não há lugar para tensões na Reserva Ecológica de Sapiranga.

Com 533 hectares de mata atlântica secundária e apenas a 6 km do hotel, a Sapiranga é um dos 10 santuários ecológicos que cercam o Praia do Forte EcoResort & Thalasso Spa.

PRAIA
De entre as muitas opções de entretenimento que vai encontrar na Praia do Forte, as praias, com suas águas mornas e paisagens exuberantes, certamente estão entre as principais. Em frente ao Praia do Forte EcoResort & Thalasso Spa, encontra a Enseada de Tatuapara, uma opção perfeita para quem busca águas calmas. Excelente para banho, tanto de adultos quanto de crianças, a enseada também se presta muito bem à prática de desportos náuticos, como o windsurf.

Há ainda outras opções de praia, como a do Papa-Gente, que se localiza a 1,5 km do Hotel e se caracteriza pela presença de piscinas naturais com mais de 6 metros de profundidade - perfeitas para a prática do mergulho. A 2,5 km do hotel, as águas já são mais agitadas, e a presença de ondas torna este local ideal para a prática do surf.

CASTELO GARCIA D'ÁVILA
A mais antiga construção de pedra do Brasil, um exemplo da arquitectura residencial-militar portuguesa, está na Praia do Forte. É o Castelo Garcia D´Ávila, que começou a ser erguido no século XVI, no alto da Colina do Tatuapara, por um português que desembarcou no litoral baiano em 1549, acompanhando o Governador Geral Tomé de Souza. Garcia D´Ávila era o nome do homem que ocupava o cargo de almoxarife geral da missão e que decidiu construir, naquelas que eram suas terras, algumas casas, uma capela e sua própria residência, chamada de Casa da Torre e que ganhou o apelido de castelo devido à semelhança com as construções da Europa Medieval.

Foi inevitável que se tornasse uma das maiores atracções da Praia do Forte. O desgaste do Castelo Garcia D´Ávila também foi imponderável. A 28 de Dezembro de 2002 a construção foi reaberta depois de dois anos de recuperação, que incluiu a restauração da capela Nossa Senhora da Conceição, um tesouro arquitectónico. Basta dizer que é a mais antiga edificação religiosa do país. O processo de restauração foi totalmente documentado por fotografias expostas aos visitantes que vão à colina, que fica a 68 metros do nível do mar, o ponto mais alto de toda a região.
A preservação do castelo foi algo natural. Aliás, esta é a principal missão da Fundação Garcia D´Ávila, que restaurou as construções devolvendo-as aos brasileiros com o merecido status de Parque Histórico Garcia D´Ávila, com seu castelo, capela, centro de exposições, auditório e toda a infra-estrutura de um invejável destino turístico.